sexta-feira, 9 de junho de 2017

E O BNDES?

E O BNDES?

                Muito se fala em moralização do país. Todos os lados discursam neste sentido, porém o que se vê não é bem isso.
                Querem um exemplo? Porque, até hoje, não se abriu a “caixa preta” do BNDES?
                Pouco adianta fazer devassa nas contas públicas e brigar contra as reformas, se não desvendarmos a sangria feita nos cofres da nação através de empréstimos oficiais via BNDES.
                Ora, já é notório o fato de que o banco de desenvolvimento do governo foi usado para favorecer grandes empresas. Apesar do segredo e da confidencialidade impostas pelas administrações do PT – leia-se, governos Lula da Silva e Dilma – o povo gostaria muito de saber para quem, quanto, e a que taxas, a montanha de dinheiro saiu do caixa do banco?
                Também gostaríamos muito de conhecer a origem do dinheiro (se foi buscado por meio de captação no mercado financeiro ou se veio do caixa único do governo federal?).
                Assim, todos poderiam saber, também, o quanto de propinas sobrou dos empréstimos. Pois, até a “velhinha de Taubaté” sabe que nenhum valor relevante saiu do banco sem uma contraprestação dos beneficiários. Apesar de que todos aqueles que fizeram acordo para delação premiada são mentirosos, segundo grita o PT, o PMDB, e o PSDB .
                Saberíamos, ainda, qual o volume de dinheiro saiu após o ser mais honesto do planeta – quando exercia o cargo de presidente – haver utilizado brecha do Decreto nº 4.418/2002 (do FHC), que, “casualmente” alterou o Estatuto do BNDES, autorizando-o a financiar empresas nacionais para utilizar em ativos no exterior. Resta evidente a razão do FHC ser tão amigo do Lula da Silva e defende-lo com tanto ênfase.
                Talvez pudéssemos entender – então – os empréstimos/financiamentos para a Odebrecht fazer obras em CUBA, VENEZUELA, BOLÍVIA, EQUADOR, ARGENTINA, entre outros países comandados por “companheiros bolivarianos” ou ditadores amigos.
                E, também, para a JBS, do “agora canalha” Joesley Batista, espraiar-se mundialmente.
                Foram emprestados – segundo se sabe – alguns bilhões de dólares, enquanto aqui na terrinha só havia dinheiro para construir estádios para a Copa. Que o diga o caos da saúde, e da segurança pública, que não vem de hoje.
                Ah, ia me esquecendo: para os programas de “bolsa família”; “bolsa presidiário”; outras “bolsas esmola”; e indenizações para “perseguidos da ditadura”; igualmente nunca faltou dinheiro oficial!
                Enfim, os brasileiros decentes querem saber quem foram os grandes tomadores da fortuna que saiu dos cofres do BNDES.
                É claro que os “mortadelas” e outros “corporativistas de plantão” devem achar um absurdo tal explicação, pois se trata de assunto de segurança nacional. É mesmo inacreditável como os políticos (corporativistas e oportunistas) se protegem. E os “simpatizantes” do PT, do Lula da Silva, da Dilma, que acreditam nas justificativas esfarrapadas que as defesas desta quadrilha tentam empurrar goela abaixo de todos.
                Contem outra piada, porque esta não tem nenhuma graça.
                Mas, se o beneficiário do “jabá”, anos depois, vira um canalha (como recentemente o Lula da Silva adjetivou o (ex)amigo Joesley), ou faz campanha contra o PT (olha a Globo aí, gente!), alguma coisa está cheirando mal. E não é fedor de esgoto...
                Esperamos que o BNDES abra seus arquivos e a verdade venha à tona.
                Se não tiver morrido afogada!


                Marcelo Aiquel – advogado (08/06/2017) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário