sábado, 17 de junho de 2017

Artigo, MarceloAiquel - Chinelo velho

Amigos, hoje venho contar a história de um “chinelo velho”, que foi completamente desprezado pelo dono, logo após este ganhar um novo e macio par de chinelos.
         
Tivesse o “chinelo velho” algum sentimento, este – com certeza – seria de enorme decepção, pois ninguém, nem mesmo um “chinelo” suporta ser desprezado.
         
E assim o “chinelo velho” ficou atirado ao léu, esquecido ao lado da cama, enquanto assistia o seu dono desfilar radiante com o novo calçado.
         De nada adiantou o “chinelo velho” gritar, berrar, tentar ser irônico, inconveniente até, pela singela razão de era totalmente desprezado, esquecido, tratado como se não existisse, independente dos movimentos que tentava fazer para chamar a atenção. Pois, ele – literalmente – era ignorado.
         Lembrei-me deste triste caso de desprezo (as histórias de desprezo são sempre tristes), ao assistir na net um vídeo onde um patético militante petista – que certamente deu seu voto para a chapa Dilma/Temer – chama o jornalista Alexandre Garcia de GOLPISTA.
         Só faltou ao recalcado dizer: “é gópi”, imitando o linguajar pouco acadêmico do seu ídolo maior.
         Totalmente ignorado pelo desprezo do jornalista, o infeliz ainda tentou comprar briga com a comissária de bordo do avião, também em vão, pois, o que ele queria era mesmo arrumar uma confusão, para depois se vitimizar, conforme lição comum dos ”injustiçados”.

         Ah, para concluir devo registrar que qualquer semelhança entre a história do “chinelo velho” e o caso do recalcado militante petista (perdoem a redundância) não passa de uma mera coincidência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário